A primeira Experiência de mergulho no Brasil

O Brasil é um país que possui aproximadamente 8.000Km² de costa marítima, resultando em um extenso litoral. Devido a isso, é comum que desde os primórdios da habitação humana nas terras tupiniquins existam registros de atividades envolvendo o mergulho nos oceanos.

Um dos primeiros registros da atividade, diz respeito às tribos de índios Taramambesus, que habitavam as praias do litoral sul. Eles desenvolveram uma atividade subaquática que consistia em caçar peixes mergulhando em apneia.

Mas, o  mergulho como a atividade que conhecemos hoje em dia é relativamente recente no país e chegou ao Brasil por volta de 50 anos atrás, por meio de equipamentos trazidos por pilotos e companhias aéreas, principalmente dos Estados Unidos. Nos anos 60, alguns brasileiros começaram a mergulhar e, com cursos realizados no exterior, se formaram instrutores e donos de escola.

Certificadoras internacionais chegaram ao país, as nacionais foram criadas, assim como as escolas com seus cursos básicos e de aperfeiçoamento e os equipamentos mais recentes. Lojas, importadores, hotéis e pousadas passaram a se preparar para recepcionar esse público, que movimenta um mercado de esporte e lazer no país há pelo menos 30 anos.

Um grande salto na popularidade da prática veio com a visita do francês Jacques Cousteau ao Brasil na década de 1980. Imagens dele mergulhando com botos-cor-de-rosa no Rio Amazonas certamente inspiraram pessoas em todo o mundo e marcaram a trajetória do mergulho no país. 

Compartilhe: